#27


Perco-me com facilidade e as lágrimas correm-me como se sangue fossem. Nunca sei muito bem o que quero: até saber. Detesto segundos lugares: nasci para ganhar, para ter o que quero. Custa-me respirar, é o mar de ódio e mágoa que me sufoca e afoga, sem nunca me deixar morrer. Aliás, suspeito ser o que me mantém viva. Por mais que tente divagar, deixar que a chuva me molhe mais do que o corpo, não consigo esquecer. Adoro este sorriso que não vai embora, este olhar que gosta de si. É a prova de que preciso de mim apenas. Do meu feitio. Da minha confiança. Dos meus pensamentos: julgo-os agora maior do que o mundo. Preciso destas palavras, despejadas, arrancadas ao tal mar que nasce e morre dentro de mim. Preciso destas palavras e de as poder dizer, uma por uma, com cara de quem ganhou mesmo tendo perdido. Com cara de tu sabes o quê. Posso sofrer, despedaçar tudo o que me rodear, desfazer, mas enquanto puder dizer o que penso, sou feliz.

A ti, que estás a pensar se este texto é sobre ti; é.

Gostaste? Então, não guardes só para ti!

SOBRE A AUTORA

Olá! O meu nome é Daniela Nogueira, tenho 18 anos e estudo Direito. Sou uma apaixonada por Artes. Escrevo no (Des)Apontamentos há cerca de quatro anos (com muitas mudanças, pelo meio...) e espero fazê-lo por muitos mais. A natureza, os meus sentidos e a alma das pessoas são os meus temas favoritos!

7 Comentários

  1. Ficamos à espera de mais textos e vídeos :) gostei muito do texto!!

    ResponderEliminar
  2. Que linda, Ana! Muito obrigado! ♥ ♥
    Beijinhos*

    ResponderEliminar
  3. Gostei muito do texto, tão difícil achar blog de textos. Poste mais pretendo acompanhar
    Beijos <3
    Agridoce Cereja

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fico muito feliz por teres gostado, Simone! Vou continuar a postar sim: espero ver-te mais vezes por aqui ♥

      Beijinhos*

      Eliminar
  4. "Não posso...
    Pois não sei ser meia.
    Sou inteira.
    Quando não posso ser inteira,
    eu prefiro ser nada."
    (Clarice Lispector)

    Sempre que penso nesse poema, não sei por que mas penso em você usando essas mesma palavras.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por acaso, não conhecia esse texto, mas podia, realmente, ter sido dito por mim!

      Eliminar
  5. Ola Daniela ,senti tantas saudades ,vinha sempre espreitar ver se tinha post novo e nao achava nada .Espero que continues inspirada para escrever ,mas claro sem pressao .

    Beijinhos :)

    ResponderEliminar